Innovación e innovación social en la producción audiovisual: reflexiones sobre dos estudios de caso

Autores/as

  • José A. Borello UNGES
  • Leandro González UNGS
  • Aída Quintar UNGS
  • Mariana Martínez Ministerio de Trabajo, Empleo y Seguridad Social
  • Carolina Barnes UNGS

Palabras clave:

innovación, innovación social, producción audiovisual, estudios de caso

Resumen

En este trabajo se exploran tres aspectos de la discusión sobre innovación que aparecen poco estudiados en la bibliografía existente. Se examina la problemática de los procesos de innovación en el marco de la producción audiovisual. Como es sabido, esos procesos se han estudiado mayormente en el contexto de la industria manufacturera, y bastante menos se ha avanzado en los servicios y en las industrias culturales. Además, el trabajo estudia los procesos de innovación en el marco de actividades que son parte del sistema económico, pero cuya lógica central no está orientada centralmente por la ganancia: la innovación social. Nos proponemos estudiar, a través del examen de dos casos dentro de la misma actividad productiva (la producción audiovisual), diversos aspectos que hacen a la generación de innovaciones desde dos lógicas que, si bien subrayan la idea de novedad, la expresan de formas muy diferentes. Por último, el trabajo tiene el propósito de hacer una contribución metodológica al estudio de los procesos de innovación, destacando las potencialidades de los estudios de caso.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Biografía del autor/a

José A. Borello, UNGES

Profesor e investigador, Instituto del Conurbano, Universidad Nacional de General Sarmiento (UNGS), CONICET, Argentina.

Leandro González, UNGS

Investigador y docente, carrera de comunicación, Instituto del Desarrollo Humano, Universidad Nacional de General Sarmiento (UNGS), Argentina.

Aída Quintar, UNGS

Profesora e investigadora, Instituto del Conurbano, Universidad Nacional de General Sarmiento (UNGS), Argentina.

Mariana Martínez, Ministerio de Trabajo, Empleo y Seguridad Social

Técnica en el área de Coordinación de Equidad de Género, Diversidad Sexual e Igualdad de Oportunidades en el Mundo Laboral, Dirección de Protección e Igualdad Laboral, Ministerio de Trabajo, Empleo y Seguridad Social, Argentina.

Carolina Barnes, UNGS

Profesora e investigadora, Instituto del Conurbano, Universidad Nacional de General Sarmiento (UNGS), Argentina.

Citas

Alves, J. R. M. (2009). A história da EAD no Brasil. Em M. Litto e M. Formiga (Eds.), Educação a Distância: o estado da arte (9-13). São Paulo: Pearson Education do Brasil.

Amaral, N. C. (2017). Com a PEC 241/55 (EC 95) haverá prioridade para cumprir as metas do PNE (2014-2024)? Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, 22(71), 1-25. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/s1413-24782017227145.

Arruda, P. E. e Arruda, P. E. D. (2015). Educação à Distância no Brasil: políticas públicas e democratização do acesso ao ensino superior. Educação em Revista Belo Horizonte, 31(03), 321-338. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0102-4698117010.

Arruda, P. E. (2018). Reflexões sobre a política nacional de formação de professores a distância e o enfraquecimento da EaD pública pela Universidade Aberta do Brasil (UAB). Educação, Santa Maria, 43(41), 823-84. DOI: http://dx.doi.org/10.5902/19846444.

Balmant, R. O. M. (2006). O ano em que a EAD se tornou uma política pública. In: Associação Brasileira de Educação a Distância. Anuário Brasileiro Estatístico de Educação Aberta e a Distância ABRAEAD (121-125). São Paulo: Abed. Disponível em: www.abed.org.br/censoead/anuario2006.pdf.

Barreto, R. G. (2010). A formação de professores a distância como estratégia da expansão do ensino superior. Educação & Sociedade. Campinas, 31(113), 1229-1318.

Brasil (1974). Projeto de Lei nº 1.878, de 19 de abril. Institui a Universidade Aberta. Disponível em: http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=197217.

Brasil (1977). Projeto de Lei n°3.700, de 10 de junho. Institui a Universidade Aberta. Disponível em: http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=215148.

Brasil (1986). Projeto de Lei nº 8571. Autoriza o uso da designação “Universidade Aberta” e dá outras providências. Disponível em: http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra;jsessionid=FDC46A362BC824A40B3ACE8B3FD46F07.node2?codteor=1157421&filename=Avulso+-PL+8571/1986.

Brasil (1989). Projeto de Lei nº 203, de 15 de março. Dispõe sobre a criação da Universidade Nacional de Ensino à Distância. Disponível em: http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=234352.

Brasil (1990). Projeto de Lei nº4.592 de 16 de março. Dispõe sobre a Universidade Aberta do Brasil e dá outras providências. Disponível em: http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=222781.

Brasil (1996). Lei nº 9.394, de 20 de dezembro. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/lei9394_ldbn1.pdf.

Brasil (1998). Decreto nº 2.494, de 10 de fevereiro. Regulamenta o Art. 80 da LDB (Lei n.º 9.394/96). Diário Oficial da União, seção 1, p. 1. Brasília. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/tvescola/leis/D2494.pdf.

Brasil (2001). Lei nº 010172, de 9 de janeiro. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/L10172.pdf.

Brasil (2004). Projeto de Lei nº 3.582, de 28 de abril. Dispõe sobre a instituição do Programa Universidade para Todos – PROUNI, e dá outras providências. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=253965.

Brasil (2005). Decreto nº 5.622, de 19 de dezembro. Regulamenta o Art. 80 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, p. 1. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/dec_5622.pdf.

Brasil (2006). Decreto nº 5.800, de 8 de junho. Dispõe sobre o Sistema Universidade Aberta do Brasil. Diário Oficial da União, seção 1, p. 4. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/decreto/d5800.htm.

Brasil (2006). Ministério da Educação. Universidade Aberta do Brasil. Jornal Correio Braziliense, 03 de julho. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/artigo_motahaddad.pdf.

Brasil (2007). Decreto nº 6.094, de 24 de abril. Dispõe sobre a implementação do Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação [...] colaboração com Municípios, Distrito Federal e Estados, e a participação das famílias e da comunidade, mediante programas e ações de assistência técnica e financeira, visando a mobilização social pela melhoria da qualidade da educação básica. Diário Oficial da União, p. 5. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6094.htm.

Brasil (2017). Decreto nº 9.057, de 25 de maio. Regulamenta o art. 80 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/2017/decreto-9057-25-maio-2017-784941-publicacaooriginal-152832-pe.html.

Costa, C. J. (2007). Modelos de Educação Superior a distância e implementação da Universidade aberta do Brasil. Revista Brasileira de Informática na Educação (RBIE), 15(02), 1-8. DOI: http://dx.doi.org/10.5753/rbie.2007.15.2.%25p.

FNDE (2012). Fundo Nacional de Desenvolvimento Da Educação (Brasil). Apresentação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Disponível em: http://www.fnde.gov.br/financiamento/fundeb/fundeb-apresentacao.

Hernandes, P. R. (2017). A Universidade Aberta do Brasil e a democratização do Ensino Superior público. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., 25(95), 283-307. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-40362017005001104&script=sci_abstract&tlng=pt.

Ianni, O. (1998). Dialética e Capitalismo. Petrópolis: Vozes.

INEP (2011). Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo Superior. Disponível em: http://download.inep.gov.br/download/superior/censo/2011/resumo_tecnico_censo_educacao_superior_2011.pdf.

INEP (2012). Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo Superior. Disponível em: http://download.inep.gov.br/download/superior/censo/2012/resumo_tecnico_censo_educacao_superior_2012.pdf.

INEP (2013). Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo Superior. Disponível em: http://download.inep.gov.br/download/superior/censo/2013/resumo_tecnico_censo_educacao_superior_2013.pdf.

INEP (2014). Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo Superior. Disponível em: http://download.inep.gov.br/download/superior/censo/2014/resumo_tecnico_censo_educacao_superior_2014.pdf.

Lima, K. R. S. (2011). O Banco Mundial e a educação superior brasileira na primeira década do novo século. Revista Katálysis, Florianópolis, 14(1), 86-94. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rk/v14n1/v14n1a10.pdf.

Mancebo, D. (2004). Universidade para todos: a privatização em questão. Pro-Posições, 15(3), 75-90.

Mancebo, D., Vale, A. A. e Martins, T. B. (2015). Políticas de expansão da educação superior no Brasil/ 1995-2010. Revista Brasileira de Educação, 20(60), 31-50. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-24782015206003

Mészaros, I. (2008). A educação para além do capital. São Paulo: Boitempo.

Mill, D. (2016). Educação a distância: cenários, dilemas e perspectivas. Revista Educação Pública, 25(59/2), 432-454. Disponível em: http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica/article/viewFile/3821/2610.

Oliveira, D. A. (2011). Das políticas de governo à política de estado: reflexões sobre a atual agenda educacional brasileira. Educ. Soc., 32(115), 323-337. Disponível em: http://www.cedes.unicamp.br.

Oliveira, L. C. (2014). Tutoria, prática docente e condições de trabalho: um olhar sobre a atividade do tutor no curso de pedagogia a distância da Universidade Federal de Uberlândia [Dissertação de mestrado]. Uberlândia: Universidade Federal de Uberlândia. Disponível em: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/13961.

Oliveira, L. C. (2019). Política pública educacional como estratégia de programa de governo: o Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB) [Tese de doutorado]. Uberlândia: Universidade Federal de Uberlândia. Disponível em: http://dx.doi.org/10.14393/ufu.te.2019.921.

Projeto Universidade Aberta do Brasil (2005). Fórum das Estatais pela Educação. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/universidade.pdf.

Saviani. D. (2007). O Plano de Desenvolvimento da Educação: análise do projeto do MEC. Revista Educação e Sociedade, Campinas, 28(100), 1231-1255. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v28n100/a2728100.pdf.

Silva, I. P. (2018). A Universidade Aberta do Brasil e a nova legislação que trata da educação a distância. Revista EdaPECI, 18(2), 37-49. DOI: http://dx.doi.org/10.29276/redapeci.2018.18.28053.37-49.

Universidade Aberta é debatida em evento de educação a distância (2005). Educação a distância. Ministério da Educação. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/ultimas-noticias/210-1448895310/2561-sp-1557975974.

Descargas

Publicado

2022-12-12

Cómo citar

Borello, J. A., González, L., Quintar, A., Martínez, M., & Barnes, C. (2022). Innovación e innovación social en la producción audiovisual: reflexiones sobre dos estudios de caso. Revista Iberoamericana De Ciencia, Tecnología Y Sociedad - CTS, 244–271. Retrieved from http://ojs.revistacts.net/index.php/CTS/article/view/347

Número

Sección

Artículos